A Capital

A origem do Município de Olímpia deve-se ao espírito empreendedor do desbravador e engenheiro escocês Robert John Reid, quando este, no limiar do século que ora se finda, contratado pelos condôminos do Sertão dos Olhos D’água para demarcar aquelas terras, convenceu-os da auspiciosa oportunidade de ali se fundar um povoado. 

A terra cortada pelo Turvo e Cachoeirinha era repleta de córregos. Distrito criado com a denominação de Olímpia, subordinado ao município de Barretos, caminhou para sua emancipação, tendo sido elevado à categoria de município em 1917 e instalado em 7 de abril de 1918. Apesar da fundação da cidade datar do dia 02 de março de 1903, dia em que se comemora o aniversário de Olímpia, o município foi oficialmente criado pela Lei Estadual nº 1.571, de 07 de dezembro de 1917. Atualmente, compreende os distritos de Olímpia (sede), Baguaçu e Ribeiro dos Santos.

A denominação da cidade deriva de “Maria Olímpia”, filha de um influente político da região e afilhada do engenheiro Reid, a quem este quis prestar uma homenagem.

É limitado, ao norte, pelos municípios de Altair e Guaraci; ao sul, pelos de Tabapuã e Cajobi; a leste, pelos de Barretos e Severínia; a oeste, pelos de Guapiaçu e Uchoa.

População: 54.037 (IBGE - Estamativa 2017)
Gentílico: Olimpiense. Para torcedor do Olímpia Futebol Clube aplica-se o adjetivo olimpiano.
Pontos Turísticos: Thermas dos Laranjais; Hot Beach Olímpia; Museu de História e Folclore “Maria Olímpia”; Igreja Matriz de São João Batista; Igreja Matriz de Nossa Senhora Aparecida.
Atividades econômicas: Agricultura (laranja); Indústria (cana-de-açúcar); Serviços (Turismo).
Área: 812 KM² (9,792 KM de área urbana).
Rios: Turvo, Cachoeirinha, Olhos D’Água, Córrego dos Pretos e do Matadouro.


DESCRIÇÃO DO MUNICÍPIO

Localizada a 430 quilômetros da Capital paulista, Olímpia está situada sobre o Aquífero Guarani, em uma região privilegiada do noroeste paulista. O município tem se destacado como um dos mais importantes polos turísticos do Estado de São Paulo, tendo conquistado o título de Estância Turística em 2014, com um fluxo médio anual de mais de 2 milhões de visitantes. O acesso a Olímpia se dá pelas Rodovias Assis Chateaubriand (SP-425) e Rodovia Armando de Salles Oliveira (SP-322).

POR QUE CAPITAL DO FOLCLORE?

O título se dá devido à forte ligação histórica do município com a cultura folclórica. Por iniciativa do Professor José Sant’Anna, falecido em 1999, Olímpia realiza há mais de 50 anos, no mês de agosto, o Festival Nacional do Folclore, recebendo grupos de todos os Estados do país durante nove dias de festa, com diversas apresentações típicas, artesanato, parque de diversões, culinárias, etc. O Festival é realizado no Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas e Turísticas Prof. José Sant’Anna (Recinto do Folclore), considerado um dos únicos do país destinado à realização de eventos folclóricos.

A cidade conquistou o título oficial de Capital Nacional do Folclore por meio da Lei Federal Nº 13.566, de 21 de dezembro de 2017, sancionada pelo presidente Michel Temer.


COMPARTILHE