Recinto

Praça de Atividades Folclóricas “Prof. José Sant’anna”

Na 22ª edição do Festival do Folclore, em 1986, tendo em vista o recrudescimento da nossa festa maior e, em contrapartida, a gradual redução do espaço disponível na Praça da Matriz de São João Batista e, posteriormente, no Centro de Esportes "Olinto Zambom", onde, após 18 festivais na Praça, se realizaram a 19ª, a 20ª e a 21ª etapas do FEFOL, construindo-se-lhe casa própria: A Praça das Atividades Folclóricas "Prefeito Wilson Zangirolami", assim denominada por iniciativa do então vereador José Sant'anna para homenagear o alcaide que, aliado à força empreendedora do criador do festival, num épito feito, procedeu à construção do "folcloródromo", realizando-a em pouco mais de quatro meses. A execução da estrutura metálica da obra (aproximadamente 9 mil m2) foi concluída no prazo recorde de 45 dias.

Na ocasião, o prof. Sant'anna assim se expressou: "Olímpia dá uma contribuição elevadíssima ao estudo e à preservação do folclore nacional (...) A Praça, de construção moderna, é elegante e espaçosa, e merece especial menção entre as principais obras do gosto de nossa gente. Nela, o povo se reanima e sente-se valorizado, pois apresenta um aspecto pitoresco e muito agradável em meio a músicas, danças, folguedos, flores, comidas e ao geral e entusiástico contentamento da povoação inteira".

Com a partida do Prof. Sant'anna (janeiro de 1999), em que se lhe precipitaram as homenagens, Projeto de Lei de autoria do vereador Vicente Augusto Batista Paschoal (de n.º 3074/97) foi unanimemente aprovado pela Casa legislativa olimpiense, convertendo-se na Lei nº 2.723, de 10/2/99, cujo teor determinou a alteração do nome da casa própria do festival, que, deste então, passou a chamar-se "Recinto de Exposições e Praça de Atividades Folclóricas `Professor José Sant'anna'".

É um mágico recinto, onde se verifica a mais apoteótica celebração da cultura folclórica brasileira. Situado na Avenida Menina-Moça, Olímpia-SP, tem cerca de 96800 metros quadrados de espaço disponível, sendo 6500 de área construída.

Cada vez mais os visitantes se encantam com a Praça das Atividades Folclóricas e os olimpienses dela se orgulham. Paulatinamente, em consonância com as disponibilidades econômicas do Município, cresce e se consolida o maior monumento que se erigiu às atividades folclóricas no país.


COMPARTILHE